Fitofotodermatose

Dermatose que se caracteriza pelo surgimento de manchas escuras, cujo formato depende da exposição da pele às substâncias, sendo frequente lesões pontilhadas causadas por respingos de limão tahiti espremido. As áreas mais comumente afetadas são o dorso das mãos, colo e os lábios.

Dependendo da intensidade da exposição, podem ocorrer reações mais intensas, como manchas avermelhadas e bolhas, acompanhadas ou não de coceira, sensação de queimação e/ou ardência no local.

A doença ocorre porque a fruta contém uma substância que é modificada quimicamente pelo sol, tornando-se muito irritante à pele.

O diagnóstico é clínico, baseado no histórico do paciente e exame minucioso da pele.

O tratamento pode ser feito com fotoprotetores de boa qualidade nas áreas acometidas, cremes com corticóides (na primeira fase do tratamento) e cremes com ativos clareadores (na segunda fase do tratamento). Dependendo da intensidade do problema, o tratamento pode levar de um a três meses.